infeccao de urina

Infecção urinária

A infecção urinária( infecção de urina) é um dos tipos mais comuns de infecção, gerando na maioria dos casos incômodo e desconforto, o que pode afetar muito a qualidade de vida. Em alguns casos pode evoluir mal, levando a um caso de sepse e óbito. Definida como qualquer tipo de infecção no trato urinário, podendo afetar os rins, ureteres, bexiga e uretra. Recebe diferentes nomes de acordo com a região afetada. Quando acomete os rins causando febre, calafrios, dor lombar, é chamada de pielonefrite. Deve ser tratada e acompanhada devido à importância desempenhada por esse órgão, necessitando na maioria dos casos de internação. Quando a infecção é na uretra, recebe o nome de uretrite e quando afeta a bexiga, cistite. 

infeccao de urina

Diagnóstico

A infecção urinária é identificada através de exame de urina, podendo em alguns casos ser definida pela realização do gram de gota, ou pode ser realizado pela urocultura, que irá mostrar qual os patógenos responsáveis pela infecção de urina e o melhor antibiótico a ser usado.

Sintomas
Os sintomas mais comuns da infecção urinária são:

  • ardência e dor ao urinar;
  • urina com odor mais forte;
  • urina escura com sangue;
  • vontade frequente de urinar;
  • sensação de urgência em urinar;

Quando acomete os rins, o paciente pode apresentar febre, dor na região lombar, náuseas, prostração, perda de apetite.
É possível ter infecção de urina e ser assintomático. 

Causas

A infecção urinária é causada mais comumente por uma bactéria, a Escherichia coli, que está presente em nosso intestino e exerce um papel importante no processo digestivo. Porém outros tipos de bactérias podem estar relacionadas como a Enterobactérias, Pseudomonas, estafilococcus, enterococcus e algumas espécies de candidas.

Infecção Multirresistente podem ser mais comuns em casos de viagens a regiões onde há prevalência de casos de infecção multiresistentes, uso de antibióticos de multi-expectro, contato com profissionais de saúde.

 Fatores que podem provocar uma infecção urinária são:

  • pouca ingestão de líquidos;
  • relações sexuais
  • gravidez;
  • falta de higiene( limpar incorretamente após micção)
  • hábito de segurar urina
  • prática do sexo anal
  • uso de sabonete intimo
  • uso de ducha vaginal
  • menopausa
  • presença de cálculos renais , pedra nos rins
  • presença de estreitamentos
  • presença de cateteres
  • imunocomprometidos( leucopenia e hiv +)
  • diabetes descontrolado
  • transplantados renais

As mulheres são mais propensas a serem acometidas pela infecção de urina devido a sua anatomia. A uretra feminina é menor, estando mais próxima ao ânus, permitindo que as bactérias passem facilmente do trato intestinal para o trato urinário. 
Outros casos que têm mais risco são os diabéticos, homens a partir dos 50 anos, mulheres na menopausa. 

Diagnóstico Diferencial

Os principais diagnósticos diferenciais para infecção de urina são:

  • vaginite
  • uretrite
  • síndrome da bexiga dolorosa
  • doenças inflamatórias pélvicas


Prevenção
Podemos tentar nos prevenir adotando algumas atitudes simples e fáceis tais como: beber bastante líquido, não segurar a urina por muito tempo, usar preservativos, urinar após a relação sexual, não segurar urina, evitar o uso indiscriminado de antibióticos.

Tratamento

O médico normalmente prescreve o uso de antibióticos, sendo que estes devem ser tomados rigorosamente como na receita para evitar que a infecção urinária volte. 

Em um primeiro episódio, optamos por tratamento sem pedido de urocultura. Porém, quando os pacientes começam a ter ITU de repetição, temos necessariamente que investigar o quadro pedindo exames de urina, cultura da urina, ultrassom dos rins e vias urinárias, além de realização de exame físico em busca de variações anatômicas.

Podemos usar alguma medicação anestésica de via urinária até a saída do resultado da urocultura ou iniciarmos antibióticos de amplo espectro.

Em alguns pacientes realizamos também o estudo urodinâmico, no intuito de avaliar como a bexiga se porta e a quantidade de urina residual após uma micção.

Profilaxia
Após o tratamento, e em casos onde está havendo muita recorrência, sem identificação de um fator de risco importante para a infecção de urina, podemos optar por uso da profilaxia, que pode ser com bactérias atenuadas, suco de cranberrry, ou antibiótico em dose menores diariamente.

Dúvidas de pacientes

  1. A infecção de urina passa no ato sexual?

Costumo receber muitos pacientes com esse tipo de dúvida. A resposta é não. Não tem como um paciente passar infecção para o outro

2. Qual a melhor profilaxia para o paciente?

Não existe evidências de qual o agente profilático tem melhor efeito na profilaxia da infecção de urina. Temos de avaliar se os medicamentos vão ser tolerados, seus efeitos colaterais, custo de profilaxia.

3. Estou com sintomas de infecção urinária, posso simplesmente tomar um resto de antibiótico que tenho em casa?

Essa prática tão disseminada na nossa cultura deve ser banida, pois além de atrasar o tratamento correto ainda induz a um aumento de resistência bacteriana, fazendo que um tratamento que poderia ser simples, tornar-se mais complexo e dispendioso, podendo necessitar de internação hospitalar.

4. Doutor, já tomei esse antibiótico da última vez. Por que vou tomar o mesmo?

Esse tipo de interpelação é extremamente comum, mas nós baseamos nosso tratamento de acordo com o tipo de antibiótico sensível no exame de urocultura. Um exemplo: se em Março você tomou ciprofloxacino e em Agosto você está com sintomas de infecção de urina e seu médico pede nova urocultura que após ficar pronta mostra que há uma sensibilidade para o ciprofloxacino. O que isso quer dizer? Que você está com itu que pode ser tratada com ciprofloxacino novamente com intuito de cura.

Estou à disposição para atendimento em Belo Horizonte ( BH), Nova Serrana ou Pará de Minas. Segue link para agendamento

www.drleone.com.br

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp